As Corajosas Mulheres Tatuadas Do Século XIX

Filipe_Lopes in Brasil

Vejam aqui a história inspiradora das mulheres do século XIX!

Naquela época, até mesmo as Pin Ups era escandalosas demais para a sociedade. Tatuagem de Florian Karg
Naquela época, até mesmo as Pin Ups era escandalosas demais para a sociedade. Tatuagem de Florian Karg

Vamos aprender um pouquinho de história da tatuagem agora, mais precisamente no início século XIX (19 pros que como eu não sabem algarismos romanos). Naquela época, os circos começaram a apresentar homens tatuados como aberrações como atrações, e o mais bizarro era que a maioria deles eram sequestrados, feitos de escravos e tatuados à força, já que naquela época o preconceito com a tatuagem era sinistro demais! No finalzinho do século XIX eles começaram a perceber que os homens tatuados não causavam tanto impacto assim, e resolveram fazer a mesma coisa com as mulheres! Elas começaram a aparecer todas tatuadas e semi nuas, numa era em que todas as mulheres andavam se escondendo e mostrando apenas o rosto e as mãos. Para dar uma incrementada no "show", elas era obrigadas a dançar e ir tirando as roupas lentamente para o público.

Já no século XX, algumas mulheres cheias de atitude e personalidade, começaram a se tatuar espontaneamente em defesa das mulheres que outrora era forçadas a se pintar, era uma forma de mostrar o apoio e tentar acabar com o preconceito das que foram obrigadas por intermédio de ameaças de morte e violência, a se tatuar. E foi ai que começaram a aparecer grandes divas e ícones dessa época tenebrosa para a tatuagem! Como a Betty Broadbent

Poster de 1930 com Betty em destaque. "A galeria de arte viva" diz o cartaz. E ainda enfatiza as suas mais de 465 tatuagens!
Poster de 1930 com Betty em destaque. "A galeria de arte viva" diz o cartaz. E ainda enfatiza as suas mais de 465 tatuagens!

Betty nasceu em 1909, e ao contrário das mulheres do século anterior, não fez suas tatuagens para agradar ninguém ou por ameaças, ela era uma apaixonada pela arte da tatuagem e queria carregar aquilo no corpo para sempre. Ela conheceu alguns tatuadores no ano de 1927 que já usavam as máquinas elétricas de bobina, ao invés do uso do tebori, técnica em que é usado um bambu para pigmentar a pele.

Betty optou por não ter as mãos e o pescoço tatuados, para não sofrer agressões físicas de gente com a mente pequena daquela época!
Betty optou por não ter as mãos e o pescoço tatuados, para não sofrer agressões físicas de gente com a mente pequena daquela época!

Recent from Brasil

Betty trabalhou como uma galeria de arte ambulante durante mais de 40 anos, viajando para vários países. E depois se tornou uma tatuadora profissional, morrendo em 1983 em São Francisco dois anos depois de ser a primeira pessoa a ser inclusa no Hall da fama da tatuagem! Grande conquista!!!

A linda Betty!
A linda Betty!

Mais outra mulher incrível desta época, se chamava "A Esposa Pintada". Artoria Gibbons nasceu em 1893 no estado de Wisconsin nos Estados Unidos, e seu nome era Anna Mae Burlinston. Ela trabalhava desde criança como empregada para ajudar as finanças da sua família, e fazia isso por querer ser independente dos pais e ser útil para eles. Às vésperas da guerra, ela conheceu o tatuador Charles "Red" Gibbons em 1912 e logo se casaram! Os tempos eram difíceis e Artoria teve a ideia de se transformar numa galeria de artes ambulante, assim como Betty. Naquele tempo as mulheres ganhavam muito dinheiro visitando lugares e sendo atrações artísticas. Assim, Charles e ela começaram a bolar um body suit para que ficasse mais profissional e eles conseguissem mais dinheiro.

Artoria e suas tatuagens com referências religiosas
Artoria e suas tatuagens com referências religiosas

Com o passar do tempo, ela e seu marido acharam melhor ela também contar sua história de como começou a se tatuar, para encorajar mais mulheres a se tatuarem. E assim foi feito. Para deixar as coisas mais interessantes, ela começou a dizer que começou a se tatuar por amor, e que tinha fugido de um circo para ir atrás de seu marido. Essa história valeu para o casal muito mais contratos e dinheiro, e assim sendo, eles contrataram um empresário para tomar conta da carreira de Artoria.

Artoria Gibbons!
Artoria Gibbons!

Só que ele acabou se apaixonando por Artoria, e disse que ela foi tatuada contra a vontade por seu marido ciumento que queria a tornar menos atrativa para os outros homens. Se fosse hoje em dia, seria exatamente ao contrário mané! Artoria, obviamente, ficou bolada e demitiu o empresário e o desmentiu em rede nacional para uma rádio! Artoria se aposentou em 1981 como a última mulher que ganhava a vida sendo uma vitrine viva de artes do país. Ela morreu em 1985.

La Belle Irene era o seu nome artístico
La Belle Irene era o seu nome artístico

Esta da foto acima, é Irene Woodward. Nascida em 1862, começou a fazer shows em 1880. Com várias histórias sobre suas tatuagens, mas nenhuma delas pode ser considerada como verdade absoluta. Alguns dizem que ela foi tatuada por seu próprio pai, que ele a forçou a isso, mas outras vezes a própria Irene diz que quis todas as suas tatuagens.

Irene era muito famosa não apenas por suas tatuagens, mas sua beleza e elegância
Irene era muito famosa não apenas por suas tatuagens, mas sua beleza e elegância

Alguns historiadores concordam que ela foi tatuada de verdade, por dois artistas de Nova Iorque, Samuel O’Reilly e Charles Wagner. E pra confundir ainda mais a cabeça de todo mundo, depois de um tempo Irene começou a falar que era tatuada para se proteger de algumas tribos de índios. Ela faleceu em 1915.

Uma foto de Irene no auge se sua carreira
Uma foto de Irene no auge se sua carreira

Curtiram um pouco da história dessas mulheres poderosas, que com certeza abriram as portas para hoje em dia a nossa arte preferida ser mais aceita pela sociedade! Girl Power! Até a próxima!

Fonte: Ratta

Filipe_Lopes

@Filipe Lopes

Representante América Latina, Editor/Produtor Tattoodo. Sócio-Proprietário do Zero21 Tattoo Studio, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Amor incondicional à tatuagem, modificação corporal e artes visuais! A tinta na minha pele é tão vital quanto o sangue que corre nas minhas veias!

Follow

More from Author

We Recommend

Recent Staff Picks